'Razoável': Editor do Blog do Ikeda avalia Festa da Luz 2018

Codecom Não. Nem de longe a Festa da Luz 2018 foi a maior festa de todos os tempos, como avalia a organização do evento. A própria ge...

Codecom

Não. Nem de longe a Festa da Luz 2018 foi a maior festa de todos os tempos, como avalia a organização do evento. A própria gestão do prefeito Zenóbio Toscano (PSDB) já realizou festa melhor. Este ano, no entanto, parece que a organização se acomodou e o resultado foi uma festa razoável: inferior a de 2015 e 2016, por exemplo. Compare com avaliações anteriores feitas pelo Caderno de Matérias.

Atesto, porém, que a noite de Wesley Safadão superou todas as expectativas, como já era esperado - assim como ocorreu no ano passado durante a última apresentação de Xande Avião e Solange Almeida, juntos: naquela noite o Parque do Poeta Ronaldo Cunha Lima ficou pequeno para tanta gente que veio acompanhar a despedida da Solange, da banda.

Na edição deste ano, a primeira noite foi marcada por ‘falta de luz’ nas ‘barracas’, e por um ‘apagão’ no palco principal.


Barracas: na abertura da festa, comerciantes de umas 20 ‘barracas’, que pagaram - cada um - R$ 500,00 pelo espaço para comercializar na festa, ficaram sem luz desde 17h30, conforme relatos à reportagem da Rádio Guarabira FM. Eles foram prejudicados. E os clientes tiveram de beber ‘cerveja quente’. O problema foi solucionado depois.




‘Palco do brega’: houve redução de artistas e atraso na abertura do ‘palco do brega’. Antes este espaço era mais valorizado, divulgado, começava mais cedo e com maior número de artistas locais. A maioria dos artistas de Guarabira ficou de fora da festa em 2018.





‘Palco principal’: ocorreu um ‘apagão’ no palco principal durante o show do cantor Vinicius Mendes, também na primeira noite, como já relatado. Foi devido um problema em um dos geradores. Quase uma hora depois, a equipe técnica conseguiu solucionar. Houve uma pequena manifestação como se fossem vaias no meio do povão enquanto substituíam o equipamento. Quem salvou a noite foi o ‘gigante’ Léo Santana, atração repetitiva na Festa da Luz.

Em 2018, a organização do evento investiu em um palco, apenas – antes eram dois: para diminuir o intervalo entre uma atração e outra. Instalaram um palco “moderno”, com plataformas móveis, projeção de imagem em alta definição nos telões e sonorização de qualidade. Não percebi nada de anormal em relação ao som, nem ouvi críticas. Contudo, teve intervalo com mais de meia-hora entre as atrações. E apesar da “modernidade do palco”, a troca de equipamentos e o movimento das plataformas móveis demoraram porque foram feitas manualmente. Sequer fechavam a cortina: tudo ficava muito exposto.





Som: sem comentários





Telões: os telões instalados este ano ao lado do palco cumpriram bem a finalidade. Destaco aqui a qualidade de imagem projetada.


Fronstage: o polêmico franstage dividiu opiniões. Resta saber se vão continuar investindo nesse ‘espaço pago’ no ano que vem. Não faz sentido instalar um ‘front’ numa festa razoável – é melhor liberar o espaço para o povão.









Comércio de camarotes: continua sendo uma boa ideia comercializar camarotes durante o evento, pela Prefeitura de Guarabira. O valor vai para os cofres do município. Aumentou o número de camarotes este ano, mas houve algumas queixas em relação a posição e visibilidade. 






Parque do Poeta: o local ainda não está concluído, mas continua tendo a aprovação da população de Guarabira. Por enquanto, não há espaço melhor e mais apropriado para a realização da festa.







Parques: o posicionamento dos parques também foi aprovado. Mas já está na hora de começar a pensar no futuro, pois o local vai ficar pequeno para abrigar parques. Este ano vieram poucos: e nenhuma novidade. Ainda bem que o prefeito não inventou de prometer instalar uma ‘montanha-russa’ este ano, como fez antes...



Repercussão da festa: a Festa da Luz 2018 não teve a mesma repercussão positiva de anos anteriores. É fato. Obviamente, as emissoras de tevê só mostraram o lado bom da festa. Na chamada televisiva sobre a Festa da Luz 2018 que está sendo veiculada pela TV Tambaú, a Prefeitura de Guarabira é citada como patrocinadora. Então...






Comunicação Institucional: este ano não houve reunião com a imprensa, como ocorreu em edições anteriores para deixar os profissionais cientes do layout e do posicionamento do camarote, por exemplo. O credenciamento foi feito normalmente. E apenas Cid Cordeiro, coordenador da Codecom, esteve no camarote da imprensa dando assistência, suportando críticas e respondendo. No geral, porém, o trabalho da Codecom dispensa comentários: o pessoal é profissional.




Camarote da imprensa: ninguém da coordenação fez uma visita ao camarote da imprensa – nós, profissionais, ficamos algumas vezes à mercê de informação e esclarecimentos. Acharam pouco, na terceira noite, tiveram uma infeliz ideia de retirar o camarote do centro do parque – de onde tínhamos uma visão dos palcos e ‘estrutura’ para cobrir melhor o evento – para colocá-lo ao lado do palco principal, comprometendo o trabalho da imprensa em todos os sentidos. #DesmotivouGeral





Espaço para cobertura de sites e emissoras de televisão: o blog considera o espaço oferecido aos profissionais de mídia digital e tevê, como 'ótimo', pela altura e o posicionamento no parque. Os sites que fizeram transmissão também estão de parabéns.



Transporte de graça: em 2015 e 2016 o prefeito Zenóbio e sua equipe tiveram a feliz ideia de colocar transporte gratuito para conduzir as pessoas – sobretudo as mais carentes - para o local da festa: e o serviço foi executado como fora anunciado, sem transtornos. Este ano não teve transporte gratuito: ou as pessoas pagavam ou iam a pé. #SimplesAssim



Transporte pago: o cadastramento de taxistas e moto-taxistas da cidade para a condução de pessoas ao espaço da festa por um ‘valor específico’ também foi uma boa opção para o público em anos anteriores, quando profissionais tiveram oportunidade de ganhar um dinheirinho a mais para ajudar no orçamento de casa. Na Festa da Luz 2018 ninguém foi cadastrado para trabalhar como mototaxista ou taxista durante as noites de festa. E se foi, o blog não tomou conhecimento.






Imagens aéreas de verdade: de novo, durante as noites de festa, um ‘drone’ sobrevoou a área do evento e captou imagens do local.





Atrações: este ano, mais uma vez, não houve diversidade musical na Festa da Luz. Eu acho interessante investir em artistas de vários gêneros. E se não fosse o show de Wesley Safadão a festa não teria atraído tanto público como na última noite. Ele veio como a grande novidade, embora já tenha tocado em Guarabira junto com sua banda anterior.









Atração religiosa: faltou uma atração religiosa.









Pontualidade: a pontualidade é importante. Este ano, a organização não foi tão pontual como se esperava: em relação a tudo.







Segurança: nota 10 para a segurança implantada na festa desse ano - em todos os sentidos. 




Ocorrências policiais: embora tenha havido furtos de veículos durante o evento - registrados fora do espaço da festa-conforme a Polícia Militar as noites de Festa da Luz 2018 foram tranquilas, com poucas ocorrências. 






Espaço para cadeirantes: A organização poderia ter criado um espaço para cadeirantes. Este blog já sugeriu antes. Fica a dica para a próxima edição.







Eis, portanto, mais uma breve análise feita pela editoria do blog com base em observação durante as noites de festa. A editoria do Caderno de Matérias considera que organizar uma festa desse tamanho dá muito trabalho, mas é para isso que existe uma comissão organizadora. Em síntese, a organização poderia ter acertado mais este ano: o resultado foi uma festa razoável. #Cultura #FestaDaLuz2018  

Você pode gostar também

0 comentários