Veneziano admite saída do MDB e queixa-se do cenário de indefinição

Por Nonato Guedes, Os Guedes O deputado federal Veneziano Vital do Rêgo revelou que pretende aguardar até o final de março uma defi...


Por Nonato Guedes, Os Guedes

O deputado federal Veneziano Vital do Rêgo revelou que pretende aguardar até o final de março uma definição sobre sua permanência no MDB, onde se sente desconfortável. Ele dá a entender que está praticamente fora da agremiação mas salienta que pretende esgotar as alternativas internamente até oficializar uma tomada de posição a respeito. De há muito Veneziano vem se sentindo marginalizado no MDB (ex-PMDB), com a falta de apoio, por exemplo, para candidatar-se ao governo do Estado, como pretendia, em 2014.

O isolamento de Veneziano se agravou dentro do partido depois que ele foi punido com o afastamento temporário do exercício de funções burocráticas, por parte da direção nacional do MDB, por ter votado favoravelmente ao pedido de autorização da Câmara para abertura de investigação contra o presidente Michel Temer. Nesse episódio, Veneziano chegou a ter manifestações de apoio dos senadores José Maranhão, presidente do diretório regional, e Raimundo Lira, que intercederam para evitar a punição, inutilmente.

Na sequência, o ex-prefeito de Campina Grande por duas vezes começou a receber convites para se filiar a outros partidos. O Democratas, presidido pelo ex-senador Efraim Morais, abriu as portas para o ingresso de Veneziano. Mas ele foi sondado, igualmente, por expoentes do PSB, partido do governador Ricardo Coutinho, e representantes de outras legendas. “Não descarto a hipótese de trilhar outros caminhos”, sinalizou o deputado federal. Ele se queixa da falta de articulação interna no MDB, considerando que isto constitui o mais grave problema enfrentado pela agremiação. “O MDB carece, há um bom tempo, de articular-se a partir de dentro”, emenda o parlamentar.

Veneziano critica a ausência de compartilhamento, dentro do MDB, de decisões sobre os rumos do partido, o que, a seu ver, deveria ser uma constante nas práticas da legenda. “O partido não se reúne, ocorrem discussões isoladas e tenho conhecimento de algumas definições através dos meios de comunicação. Ou seja, não há uma prática democrática efetiva. Perdemos espaços que tínhamos no MDB e esse é o ponto crucial”, frisou o deputado federal, insinuando que outros parlamentares estão descontentes com essa conjuntura. Veneziano afirmou que o senador José Maranhão tem plena capacidade de promover articulações no partido, lamentando, todavia, que ele não cumpra esse papel.
***

#Política 

Você pode gostar também

0 comentários