Folha: De saída, governador da Paraíba cria guarda pessoal para ex-governadores

O governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), no Palácio do Planalto, em Brasília -  Sergio Lima - 18.ago.11/Folhapress Por João Ped...

O governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), no Palácio do Planalto, em Brasília
O governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), no Palácio do Planalto, em Brasília - Sergio Lima - 18.ago.11/Folhapress
Por João Pedro Pitombo, Folha de S Paulo
A medida é semelhante a que seria adotada pelo prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), que há um mês chegou publicar decreto que estendia o serviço de segurança a ex-prefeitos e o beneficiaria.
Pressionado pela repercussão negativa do decreto após reportagem da Folha, Doria recuou e alterou a medida, que valerá somente para os prefeitos eleitos a partir da próxima legislatura. Doria vai renunciar ao cargo esta semana para disputar o governo de São Paulo, informa reportagem da Folha.
A lei sancionada por Ricardo Coutinho, publicada em 31 de março, prevê que os próximos ex-governadores tenham três policiais para sua segurança pessoal. O benefício tem prazo correspondente ao tempo que o ex-governador exerceu o mandato, com limite de quatro anos.
Como governador reeleito, com sete anos e quatro meses de mandato, Coutinho terá o benefício até 2022.
A medida foi criticada pela oposição, que vê a lei como uma forma de Coutinho beneficiar a si próprio.
“É a lei do adeus, aprovada nas vésperas do governador deixar o cargo. Totalmente fora de propósito”, diz o deputado estadual oposicionista Bruno Cunha Lima (PSDB).

*RENÚNCIA*

O governador da Paraíba Ricardo Coutinho (PSB) deverá renunciar ao cargo de governador até o próximo sábado (7) para disputar uma vaga no Senado. Caso opte por não disputar as eleições, ele deixa o cargo em 31 de dezembro.
A expectativa, segundo aliados, é que Coutinho deixe o cargo para disputar as eleições. A avaliação é que sua candidatura ao Senado serviria para alavancar a candidatura do seu candidato ao governo, o secretário estadual João Azevedo (PSB).
A decisão sobre a possível renúncia de Coutinho será anunciada na próxima sexta-feira (6). 
***
#Política

Você pode gostar também

0 comentários