Recado de Azevêdo: “Não fazemos aliança com pessoas e, sim, com partidos”

Por Nonato Guedes, Os Guedes O pré-candidato ao governo pelo PSB, João Azevêdo, mandou um recado para petistas que cobram espaços na ch...

Por Nonato Guedes, Os Guedes
O pré-candidato ao governo pelo PSB, João Azevêdo, mandou um recado para petistas que cobram espaços na chapa majoritária que ele está formando: “Não fazemos alianças com pessoas e, sim, com partidos. É claro que esperamos que nas próximas reuniões a gente tenha uma posição mais clara do partido. Unanimidade vai ser impossível”, frisou, em entrevista a uma emissora de rádio de João Pessoa, na qual negou também que esteja definida a indicação do ex-senador Efraim Morais, do Democratas, como postulante a vice-governador. De concreto, Azevedo assegurou que sua candidatura é irreversível e sinalizou que os diálogos com partidos interessados em se compor “estão avançando”.
O ex-secretário de Infraestrutura e Recursos Hídricos do governo do Estado não descartou a hipótese de uma parceria com o Partido Progressista (PP) para o pleito de outubro. No âmbito da legenda do Progressistas, a deputada estadual Daniella Ribeiro pleiteia indicação como candidata ao Senado. A respeito do ex-senador Efraim Morais, Azevedo ressaltou tratar-se de um parceiro que está alinhado com o esquema do governador Ricardo Coutinho desde 2010, colaborando na construção do projeto administrativo. “Isto vai ser levado em conta, evidentemente, nas articulações”, aduziu ele.
O pré-candidato do PSB comparou os entendimentos para formação de sua chapa à montagem de um quebra-cabeças, que envolve diferentes agremiações. Disse que as discussões precisam se fortalecer para a conclusão da formação da chapa, que até o momento, além dele, só conta com a participação do deputado federal Veneziano Vital do Rêgo como candidato a uma vaga de senador. Faltam definições sobre o preenchimento da vice, mais um senador e os suplentes de senador. Quanto aos boatos de desistência de sua parte foi enfático: “No dia cinco de agosto meu nome estará sendo homologado para a disputa. Se outros não estarão, isso não é problema meu. Cada qual que procure se garantir. Quem entra na disputa não escolhe adversários. Os partidos não estão preocupados em quem vai estar na disputa. Quanto a nós, fizemos um planejamento e vamos trabalhar dentro dessa perspectiva”, assinalou Azevedo.
***
#Política 

Você pode gostar também

0 comentários