PSL oficializa candidatura de Bolsonaro à Presidência

Janaína discursou aos partidários de Bolsonaro pedindo moderação e tolerância, criticou a defesa de um pensamento único e defendeu que é n...

Janaína discursou aos partidários de Bolsonaro pedindo moderação e tolerância, criticou a defesa de um pensamento único e defendeu que é necessário pensar na governabilidade (Foto: Reprodução)
Terra
O Partido Social Liberal (PSL) oficializou neste domingo, 22, a candidatura do deputado federal Jair Bolsonaro à Presidência da República, em convenção nacional, no Rio de Janeiro. O evento, que começou no fim da manhã, reúne partidários do presidenciável num centro de convenções na região central da cidade.
 Recebido sob gritos de "Mito!" e "Eu vim de graça!", Jair Bolsonaro se emocionou com a recepção calorosa de seus partidários e chorou quando foi executado o hino brasileiro.
Muitos apoiadores tinham as cores verde e amarela e estavam com bandeiras do Brasil. O rosto de Jair Bolsonaro estava em várias camisetas que desfilavam pelo salão. Alguns dos presentes posam para autorretratos ou transmissões ao vivo ao lado das fotografias de Bolsonaro espalhadas pelo local. O partido espera que aproximadamente 2.500 pessoas compareçam à convenção.
Cotada como possível vice, a advogada Janaína Paschoal foi a segunda pessoa mais aplaudida em sua chegada à convenção. "Ainda não decidi sobre o convite para a integrar a chapa como vice", afirmou. "A possibilidade muito me honra. Mas algo tão sério precisa ser bem discutido", publicou.
Janaína discursou aos partidários de Bolsonaro pedindo moderação e tolerância, criticou a defesa de um pensamento único e defendeu que é necessário pensar na governabilidade. "A minha fidelidade não é ao deputado Jair Bolsonaro. A minha fidelidade é ao meu País", completou.
Segundo ela, é preciso pensar na campanha, mas também na governabilidade caso saiam vitoriosos do leito. "Enquanto procuramos pessoas que estejam dentro da totalidade do nosso pensamento, eles estão se unindo", alertou ela.
O senador Magno Malta, que também já teve o nome cotado para figurar como vice na chapa de Bolsonaro, discursou em apoio ao presidenciável durante a convenção do PSL. Malta preferiu se candidatar novamente ao Senado do que concorrer na chapa com o PSL.
"O que o Brasil quer e o que eu quero é um homem de mãos limpas, e você tem mãos limpas. E um homem cristão, você é cristão. O Brasil quer um homem que tem sangue no olho para enfrentar vagabundo", disse Malta a Jair Bolsonaro.
Na convenção, também serão oficializadas as candidaturas do filho mais velho do presidenciável, Flávio Bolsonaro, que tentará eleição como senador, e demais escolhidos pelo partido para concorrer aos cargos de deputado estadual e federal pelo Rio de Janeiro.
***
#Política

Você pode gostar também

0 comentários