Repercussão: Rádio Rural cancela entrevista de Bruno Deriu, pré-candidato a deputado federal

Repercute a notícia do cancelamento da entrevista que o advogado guarabirense Bruno Deriu, pré-candidato a deputado federal pelo Avante, ...

Repercute a notícia do cancelamento da entrevista que o advogado guarabirense Bruno Deriu, pré-candidato a deputado federal pelo Avante, daria na última sexta-feira (13), na Rádio Rural AM de Guarabira (PB), conforme anúncio prévio. Houve ingerência política forçando o cancelamento, será? 

Só para constar, recente enquete no site de notícias Fato a Fato, do jornalista Antônio Santos, apontou Bruno Deriu como melhor opção para a Câmara Federal na região, durante a pesquisa online – que não tem caráter científico, adianto.

Nos bastidores da política, dizem que o empresário João Rafael mandou suspender a entrevista. Porém, a direção de jornalismo da rádio não se pronunciou como esperado – deveria emitir uma nota convincente no site de notícias do grupo e por um fim a toda a qualquer especulação.

Eu não ouvi a emissora na sexta-feira, confesso. Então, não sei, de fato, o que o âncora do horário falou – se falou - a respeito do cancelamento da entrevista com Deriu. A informação que nos chegou é de que o apresentador do noticiário matutino usou como argumento a temida legislação eleitoral. Não convenceu.

Realmente, usar a legislação eleitoral como argumento para “barrar” uma entrevista com um pré-candidato não convence nesse momento: é que, de acordo com o calendário, o período de impedimento de entrevistas livres com futuros candidatos ainda não entrou em vigor, tanto que os pré-candidatos de Guarabira continuam dando entrevistas.

- no mesmo dia da entrevista de Deriu, um pré-candidato a governador concedeu entrevista a um programa de rádio na capital, e em rede estadual.

- e Bruno Deriu, como advogado e conhecedor da Lei Eleitoral, não faria uso de espaço no rádio havendo proibição pela legislação eleitoral: se o fizesse, ele seria punido e a emissora também.

Portanto, cancelar a entrevista já anunciada usando a legislação eleitoral como ‘desculpa’, - se esse foi o argumento - não pegou bem para a Rural AM que diz fazer um jornalismo de “mão e contramão”. E tendo em vista ser uma rádio independente de grandes grupos - todas as decisões são tomadas pela própria diretoria local com a devida autonomia.

Em Comunicação, independente de posições políticas, o princípio da impessoalidade deve prevalecer como regra em veículos de comunicação de massa, como rádio e televisão, sobretudo por se tratarem de concessões públicas. O jornalismo praticado deve seguir a mesma linha do princípio da impessoalidade.

Considero, no entanto, o direito que os outorgados com uma concessão têm de simpatizar ou não com grupos políticos; e que cada emissora pode e deve ter sua linha editorial e escolher até quando realizar entrevistas com pré-candidatos, por exemplo - mas sem usar a lei como pretexto de cancelamento.

Eu ainda não trabalhei nas empresas do Grupo JR. Nem sei se, depois de várias postagens feitas no blog, teria portas abertas para mim - também não escrevi nada demais: só o necessário. Contudo, reconheço que a Rádio Rural tem prestado um relevante serviço a população da Paraíba, assim como as demais estações locais.

Quanto ao empresário João Rafael: até onde conheço, é um homem de bem, um investidor e grande empregador que tem um nome forte e estrutura para ter ‘posição própria’, sem, necessariamente, precisar ‘prestar continência’ para quem quer que seja ou esteja no poder, mantendo, assim, o princípio de impessoalidade, principalmente, nas suas estações de rádio.

Não ficou claro o motivo pelo qual a entrevista com o pré-candidato Bruno Deriu foi cancelada. A direção da rádio não me deve satisfação, eu sei. A empresa tem dono e a última palavra deve ser a dele. Mas a rádio deveria dar um esclarecimento em respeito a um pré-candidato de Guarabira e aos eleitores que gostariam de ouvi-lo, como ocorre com os demais. 

Será que a rádio ainda vai realizar entrevistas com pré-candidatos nos próximos dias?

E o advogado Bruno, vai entrar com ação na Justiça - pelo constrangimento?

Que tenhamos uma boa semana. #Política #SintoniaFina

Você pode gostar também

0 comentários