Anthenor Navarro resiste ao abandono na iminência de desabar; 'estão esperando que caia ou pegue fogo?', questiona educadora

A semana começou com uma notícia triste: um incêndio destrói o Museu Nacional do Rio de Janeiro, patrimônio histórico de 200 anos, que, h...


A semana começou com uma notícia triste: um incêndio destrói o Museu Nacional do Rio de Janeiro, patrimônio histórico de 200 anos, que, há anos, vinha passando por dificuldades pela falta de investimentos por parte dos governos – na esfera federal. Em 2015, por exemplo, o museu carioca chegou a fechar as portas por falta de dinheiro. O fato ganhou repercussão nacional.

Fazendo ligação com o que ocorreu com o Museu Nacional, internautas na cidade de Guarabira (PB) já começam a questionar as autoridades sobre a situação de total descaso pelo qual passa o Colégio Estadual Anthenor Navarro, um dos poucos patrimônios arquitetônicos da cidade, que, ao longo de seus 85 anos, ainda resiste ao tempo e ao abandono.

Vários apelos populares e denúncias já foram feitas em rádio, sites e blogs - aqui, por exemplo -, porém, nenhuma providência foi tomada até então pelo Executivo Estadual. Se uma parte do Poder Legislativo guarabirense se cala e a outra parte se conforma com a situação do Anthenor Navarro, internautas começam a se manifestar pelas redes sociais.

A educadora Rosana Diogo, bastante envolvida com a cultura regional, em seu perfil no Facebook, faz um questionamento mostrando o retrato do descaso com o patrimônio público.



Este ano, disseram que a licitação para reforma da unidade escolar sairia até junho, bem como o início das obras – uma reforma avaliada em R$ 2,2 milhões: dinheiro que daria para construir outra escola. Já estamos em setembro e... nada de reforma. O Anthenor Navarro segue resistindo, mas na iminência de desabar a qualquer momento.

A promessa que fizeram não saiu do papel. Ainda assim, vereadores ligados ao Governo de Ricardo Coutinho (PSB), com tamanha subserviência e com discurso medíocre, preferem usar a tribuna do legislativo e rádios locais para tentar comprometer a gestão municipal, quando deveriam atentar também para o descaso e a ausência do Estado no município. 

Perguntar não ofende: será que vamos ter que assistir também a um patrimônio de 85 anos de história desaparecer pela falta de ação do Governo do Estado? #Política

Você pode gostar também

0 comentários