Pinto do Acordeon confirma que vai cantar na posse de Bolsonaro

Por Nonato Guedes, Os Guedes O cantor, compositor e instrumentista paraibano Francisco Ferreira de Lima, Pinto do Acordeon, 70 anos, at...

Por Nonato Guedes, Os Guedes
O cantor, compositor e instrumentista paraibano Francisco Ferreira de Lima, Pinto do Acordeon, 70 anos, através de sua mulher Madalena Alves disse, ontem, que se sentiu muito feliz com o convite da futura primeira-dama do país, Michelle Bolsonaro, para se apresentar durante a programação da posse de Jair Bolsonaro no dia primeiro de janeiro em Brasília. Durante a campanha eleitoral, Pinto do Acordeon, que é natural de Conceição, no Vale do Piancó, gravou um “jingle” enaltecendo o candidato Bolsonaro (PSL). Uma cópia chegou aos ouvidos da mulher do presidente eleito, que telefonou para a cantora paraibana Elba Ramalho pedindo-lhe para intermediar um contato seu com a família de Pinto.
Sabedora dos problemas de saúde enfrentados pelo artista, que chegou a ser internado em hospital do Recife com complicações circulatórias, além de ser diabético, Elba falou com Pinto do Acordeon e perguntou-lhe se tinha condições de ir para Brasília na festa da posse de Bolsonaro. Comovido, o cantor revelou que era um sonho seu e que estava disposto, sim, a atender ao “honroso convite” da futura primeira-dama. A apresentação foi, então, confirmada. Pinto do Acordeon tem origens humildes fincadas no Vale do Piancó, onde nasceu a 19 de fevereiro de 1948, tendo residido por muito tempo na cidade de Patos, no Vale Espinharas, no Sertão paraibano.
Fã de Luiz Gonzaga, o conhecido “rei do baião”, Pinto do Acordeon gravou seu primeiro LP em 1976, já tendo cerca de 20 álbuns gravados com músicas nos gêneros forró, xote e baião. Ele compôs letras para artistas renomados como sua conterrânea Elba Ramalho, Fagner, Três do Nordeste, além de ter feito apresentações em parceria com Luiz Gonzaga. Fez apresentações durante festival de música em Montreux, na Suíça, onde pontifica a cantora paraibana Diana Miranda. “Pinto do Acordeon” já gravou “jingles” para políticos da Paraíba e de outros Estados em campanhas eleitorais. Um dos mais conhecidos foi o que fez para a primeira campanha de Cássio Cunha Lima (PSDB) ao governo, em 2002, com o refrão “Esse menino vai longe…”. Uma curiosidade na sua biografia é que ele foi vereador na Câmara Municipal de João Pessoa entre 1993 e 1997. A “Master Digna”, responsável pela produção artística de Pinto do Acordeon, sentiu-se honrada com o convite da futura primeira-dama ao cantor para estar na posse do futuro presidente da República. No começo da campanha de Bolsonaro, outro paraibano, Lucas Salles, publicitário de renome, foi convidado pelo próprio candidato a participar da equipe de marketing da campanha, especialmente na TV e rádio, já que nas redes sociais atuou outra equipe, formada por filhos de Bolsonaro.
Deputado federal eleito pela Paraíba e interlocutor direto de Bolsonaro, tendo sido designado vice-presidente nacional do PSL com atuação no Nordeste, o empresário da área de segurança privada Julian Lemos surpreendeu a todos elegendo-se deputado federal pela Paraíba com expressiva votação. Ele tem dito, reiteradamente, que o governo de Bolsonaro não vai retaliar o nosso Estado em virtude da postura política dos governadores Ricardo Coutinho e João Azevedo, que votaram em Fernando Haddad, do PT. “A Paraíba terá impulso no governo de Bolsonaro”, garante o deputado federal eleito.
***
#Política #Cultura

Você pode gostar também

0 comentários