Faça o que digo...: Girassóis criticam nomeação de Lucélio e esquecem que RC nomeou irmão e esposa

Blog do Helder Moura Não se trata especificamente de julgar a decisão do prefeito Luciano Cartaxo nomear seu irmão, Lucélio, para Che...


Blog do Helder Moura
Não se trata especificamente de julgar a decisão do prefeito Luciano Cartaxo nomear seu irmão, Lucélio, para Chefe de Gabinete, porque isso o cidadão irá julgar. Muito mais para observar como na Paraíba dos tempos republicanos, ainda segue a máxima “faço o que digo, não faça o que eu faço”. A observação é relevante diante do ataque da trupe girassolaica à nomeação de Lucélio.
Ora, quem menos pode falar em nomeação de parentes é a turma de Ricardo Coutinho. Quando prefeito de João Pessoa, nomeou seu irmão Coriolano para a Emlur, algo que, aliás, chegou a render o famoso escândalo do Gari Milionário. Depois, como governador, manteve sua esposa Amanda Rodrigues, não apenas em uma secretaria de Estado, mas em duas. E das mais estratégicas: Finanças e Empreender.
E, a propósito, o governador João Azevedo manteve Amanda nas duas, claro, a pedido do ex. Então, nem Ricardo Coutinho, nem sua trupe podem falar em nomeação de parentes. Quanto à decisão de Luciano nomear o irmão isso, certamente, irá passar pelo crivo do cidadão. À primeira vista, não parece politicamente razoável, mas compreesível do ponto de vista administrativo. O tempo dirá, contudo, se o prefeito jogou certo ou errado.
Nota – Em nota, a Procuradoria-Geral do Município assegurou que o prefeito Luciano Cartaxo não feriu a legislação antinepotismo com a nomeação de Lucélio: “No caso em tela, o nomeado possui evidente qualificação técnica e idoneidade moral para o desempenho do cargo, já tendo ocupado outros cargos de relevo no governo federal e no governo estadual, não havendo, portanto, qualquer ofensa aos princípios constitucionais administrativos no ato de sua nomeação.”
Reforma – O prefeito Luciano anunciou a pequena reforma em seu time de secretários, através do twitter, numa série de postagens…



***
#Política

Você pode gostar também

0 comentários